Como a corrida pode aumentar o tamanho do seu cérebro

Se você pensou que a corrida é somente ótima para o corpo, então pense novamente.

Os cientistas descobriram evidências que o esporte não só mantém as pessoas em forma, mas também aumenta o poder do seu cérebro. Também constataram o oposto: pessoas fora de forma tendem a ter cérebros menores e capacidades cognitivas reduzidas.

Os resultados adicionam a um crescente corpo de evidências que associam o exercício com a proteção do cérebro contra o envelhecimento, como também como ajudante na substituição de células mortas. Isto pode reduzir o risco de doenças debilitantes tais como a doença de Alzheimer.

Algumas das mais recentes descobertas estão contidas na revista científica, NeuroImage. Um trabalho recente foi executado por cientistas da Universidade de Kentucky com a participação de 30 adultos (idades entre 59 e 69) correndo uma esteira.

A capacidade pulmonar e cardíaca foram medidas e um scanner de IRM foi utilizado para avaliar o fluxo sanguíneo para o cérebro. Aqueles que estavam com menor aptidão física apresentaram cérebros menores, em comparação com os voluntários com maior aptidão física.

 

Os cientistas afirmaram, “Os resultados mostraram que a manutenção da boa forma através da atividade e exercício físico regular é fundamental para preservar a saúde do cérebro no final da vida, enquanto que declínios na função cardíaca estão associados com o comprometimento cognitivo”.

 

Cientistas na Alemanha acompanharam 21 adultos com idade entre 60 e 77. Após passarem por um programa de fitness por três meses, foi observado melhorias nas suas memórias.

Os pesquisadores ainda não têm certeza por que o exercício ajuda a proteger as células do cérebro, mas foi constatado que em camundongos com boa aptidão física, examinados no Instituto Nacional sobre Envelhecimento, em Baltimore, as células do hipocampo, área do cérebro utilizada para a memória, apresentavam-se reproduzindo ativamente, enquanto que a de seus pares mais gordos apresentavam declínio.

 

Linda Clare, professora de psicologia clínica do envelhecimento e demência na Universidade de Exeter e membro do Global Council on Brain Health (conselho global sobre a saúde do cérebro), afirmou ao The Sunday Times: “A atividade aeróbica de intensidade moderada, como caminhada rápida, andar de bicicleta ou correr, pode produzir mudanças na estrutura e função do cérebro”.

“Essas mudanças aumentam a reserva cognitiva, tornando o cérebro mais resistente à neuropatologia.”

Deixe uma pergunta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dra Ritz - © 2015 - Todos os direitos reservados.