DETOX: Modismo ou Necessidade?

A proposta de uma alimentação (ou dieta) detox é, através dos alimentos na sua forma mais natural possível, ajudar o organismo a eliminar as toxinas que acumulamos diariamente, seja pela comida que ingerimos (alimentos industrializados, excesso de farinha branca e açúcar, agrotóxicos nos vegetais e hormônios nas carnes), pela água que bebemos (contaminadas com excesso de metais tóxicos) ou pelo ar que respiramos (gases poluentes).

Doenças como: câncer, hipertensão, diabetes, obesidade, déficit de atenção, fadiga, perda de libido, desequilíbrio hormonal e falha de memória estão cada vez mais presentes no mundo moderno. Predisposição genética pode existir, mas o fato é que o ambiente no qual o indivíduo se expõe será o determinante para o desenvolvimento de qualquer um desses distúrbios. Mas, como desintoxicar o nosso organismo diante da crescente contaminação do meio-ambiente causada pela urbanização e industrialização do mundo moderno?

Procure ter uma alimentação variada, composta por: grãos, cereais, legumes, verduras, frutas, castanhas e óleos de fonte vegetal, carnes magras e ovos. Os alimentos orgânicos são os mais indicados por serem livres de agrotóxicos e hormônios, além de possuírem mais nutrientes quando comparados aos não orgânicos. Esteja atento aos rótulos dos alimentos que você consome e certifique-se que não está ingerindo nada que você não encontre na natureza, como: glutamato monossódico, aspartame, sacarina, conservantes e realçadores de sabor. E quanto aos produtos detox criados pela indústria? Voltemos ao início do texto… Se a proposta é ter os benefícios a partir de alimentos na sua forma mais natural possível, então tenha certeza que estes produtos não têm nada de detox, muito pelo contrário. Leia o rótulo!

Temos que encarar a verdade e nos tornar responsáveis pela nossa saúde, tratar a comida como fonte de vida e não apenas como fonte de prazer. Isso não quer dizer que você não deve ter prazer com o que come, mas mudar o foco do que é prazer pra você é o primeiro passo. Sim, nós somos aquilo o que comemos e o nosso alimento deve ser o nosso remédio. Uma pessoa com o organismo em equilíbrio certamente pensa melhor, sente-se com mais disposição e melhora o rendimento nas diversas atividades do dia-a-dia. Cada organismo tem a sua necessidade individual, umas pessoas sentem-se bem comendo certos alimentos, enquanto para outras o mesmo alimento poderá causar desconforto. Procure sempre a orientação de um nutricionista para adequar um planejamento dentro do seu perfil.

 

Stefanny Costa

CRN6/14 545 

Comments
  1. Yolanda

Deixe uma pergunta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dra Ritz - © 2015 - Todos os direitos reservados.