Mudanças e Adaptações Fisiológicas e Musculoesqueléticas Durante a Gravidez.

Vamos compreender um pouco sobre as mudanças no organismo da mulher durante a gravidez. O organismo feminino, mês a mês, passa por modificações no período gestacional as primeiras alterações acontecem nos sistemas endócrinos e circulatórios, aumentando os níveis dos hormônios estrógeno e progesterona, resultando assim em fenômenos como angiogênicos e vasodilatadores, havendo assim mudanças na distribuição do fluxo sanguíneo desde o inicio da gestação, isso faz com que a distribuição sanguínea se modifique, priorizando útero e mamas, rins e pele, possibilitando que esses órgãos desempenhem papel fundamental durante a gestação.

Uma outra curiosidade é que podemos dividir a gestação em duas fases metabólicas a primeira chamada de Anabólica Materna, que consiste na facilitação da mãe acumular gorduras (aumento de peso) enquanto o gasto calórico do feto é pequeno, ou seja, o feto não necessita de muitos nutrientes, isso dura até por volta da 27ª semana de gestação. Na segunda fase, chamada de catabólica materna , a mãe tende a utilizar a gordura acumulada, pois essas gorduras tendem a aumentar na corrente sanguínea, gerando cerca de 9kcal/g suficientes para mãe, e toda a glicose e outros nutrientes ficam disponíveis para o feto ,nesse fase que o feto ganha peso, ou seja ,sua demanda energética é maior. Enfatizando o cuidado da mãe no ganho de peso adequado para ela e seu bebê, vamos destacar alguns pontos importantes, a falta de ganho de peso durante a gestação podem causar má formação fetal (mobimortalidade) e pior desenvolvimento mental durante a infância e o ganho de peso excessivo durante a gestação também está associado ao risco de futura obesidade e o risco de diabetes gestacional. Com isso ocorre uma grande preocupação principalmente dos médicos, em relação ao ganho de peso gestacional, de acordo com o nível de IMC (índice de massa corpórea) que a mãe se enquadra antes da gestação, pode-se indicar um os ganhos em quilos saudáveis e adequados para a mãe e seu bebê, vejamos abaixo:

 

Índice de Massa Corporal Materna

Pré-gestação

Ganho de Peso Recomendado na

Gestação

<19 12,5 – 18
19,8 – 26 11,5 – 16
26,1 – 29 7,5 – 11,5
>29 6

Recomendação do Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation of the US Institute of |Medicine

 

Através dessa tabela é possível de orientar as gestantes sobre a evolução de seu peso, afim de não afetar de maneira negativa a saúde dela e seu bebê .

Mais a frente iremos abordar o tema nutricional para gestantes. Com relação a saúde musculoesquelética da mulher gestante, há uma tendência para o deslocamento para frente, devido ao crescimento uterino-abdominal e ao aumento das mamas. Para compensar, o corpo projeta-se para trás, amplia-se o polígono de sustentação, os pés se distanciam e a porção cervical da coluna alinha-se para frente. O peso do corpo aumentado deve resultar em mais pressão através da coluna e aumentados esforços de torção nas articulações.  Os músculos abdominais e da região perineal passam a suportar mais peso e muitos deles são solicitados em movimentos dos quais eles normalmente não participavam. Os ligamentos da pelve sofrem maior exigência e tornam-se mais um foco de dor;  estas alterações posturais se tornam mais evidentes após a 16ª semana de gestação, quando se percebe a hiperextensão dos joelhos, anteversão pélvica, causando aumento da lordose lombar e tensão na musculatura paravertebral, sobrecarga de peso nos pés e diminuição do arco longitudinal do mesmo. Então os pés ficam ligeiramente aplainados, há queda do arco plantar medial, e um aumento do seu comprimento, em alguns casos o pé pode até pronar.

Podemos, analisar melhor algumas mudanças citadas acima na imagem a seguir :
artigo2

 

 

Carolina Pilegi

CREF: 066742-G/SP

Deixe uma pergunta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dra Ritz - © 2015 - Todos os direitos reservados.