O que é Glicogênio

O glicogênio é o estoque de energia rápida do organismo, ou seja, é a forma em que a glicose, a principal fonte energética das células – obtida a partir do consumo de carboidratos – é armazenada. O glicogênio é encontrado principalmente no músculo (glicogênio muscular) e no fígado (glicogênio hepático).

 

INSULINA E GLUCAGON

A insulina e o glucagon são os hormônios responsáveis pela regulação do metabolismo do glicogênio. Quando comemos alimentos ricos em carboidratos [pães, massas, arroz e batata], os níveis de glicose se elevam no sangue e é liberado o hormônio insulina, responsável por transportar a glicose (açúcar) até o interior das células para que seja utilizada como fonte de energia. A insulina, juntamente com outras enzimas, também é responsável pela síntese do glicogênio (glicogênese), ou seja, transforma a glicose em glicogênio.

O hormônio glucagon é responsável por quebrar o glicogênio e liberar moléculas de glicose no organismo, processo conhecido por glicogenólise. Quando o corpo percebe que os níveis de glicose estão baixos, o glucagon é liberado para que ele faça a sua função e a glicose volte aos níveis de normalidade, fornecendo energia para o organismo.

Resumindo, os dois hormônios agem na regulação da glicose no organismo: a insulina estimula a produção do glicogênio para armazenar energia, diminuindo os níveis de glicose e, ao contrário, o glucagon transforma o glicogênio em várias moléculas de glicose, aumentando os níveis de glicose no sangue.

PAPEL DO GLICOGÊNIO NA ATIVIDADE FÍSICA

Manter bons estoques de glicogênio muscular é fundamental para melhorar a performance esportiva do atleta e a recuperação muscular após o treino.

O glicogênio muscular é a principal fonte de carboidrato utilizada para a produção de energia durante a atividade física. Durante o processo de glicogenólise¸ que ocorre por meio de uma enzima chamada deglicogenólise forforilase¸ o glicogênio é degradado em moléculas de glicose, que é rapidamente convertida em moléculas de ATP, a moeda de energia para as células desempenharem o movimento, que atua como se fossem “fichas de energia”. A conversão de glicose em ATP acontece em todas as células do organismo, local onde ocorre a glicólise, como é conhecido esse processo.

Após o músculo utilizar boa parte dos estoques de glicogênio, começa a ocorrer a fadiga muscular e a queda do desempenho esportivo por falta de energia para o músculo continuar em atividade. Para adiar a sensação de fadiga, é importante consumir no pré-treino alimentos fontes de carboidratos de baixo e médio índice glicêmico, que irão liberar glicose durante o exercício e poupar o glicogênio muscular, promovendo melhor desempenho.

Após a atividade física, o mais adequado é que os carboidratos sejam os de alto índice glicêmico, ou seja, que sejam rapidamente absorvidos.

É importante consumir uma combinação de alimentos ricos em proteínas e carboidratos após a atividade física, pois irão acelerar a recuperação muscular e tornar a reposição dos estoques de glicogênio muscular mais eficiente, aumentando a performance esportiva nos treinos ou competições posteriores. O consumo pós-treino de suplementos ou alimentos ricos em carboidratos fornece glicose para a reposição de glicogênio muscular e, assim, o organismo pode direcionar os aminoácidos, que são encontrados em grandes quantidades nas proteínas consumidas após o treino para o reparo do tecido muscular e consequente crescimento muscular e aumento de massa magra.

Se a refeição pós-treino contém apenas proteínas, sem carboidratos, ocorre a gliconeogênese, ou seja, o organismo passa a utilizar os aminoácidos para a formação de glicose, comprometendo a recuperação muscular e ganho de massa magra.

Deixe uma pergunta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dra Ritz - © 2015 - Todos os direitos reservados.