O que fazer para Aumentar a Imunidade do Organismo?

 

O corpo humano é perfeito. O tempo todo está travando uma verdadeira batalha para nos manter fortes e saudáveis. Alguns hábitos ou situações de estresse podem deixar a porta aberta à infecções e o corpo mais vulnerável. Algumas doenças causadas por vírus e bactérias ficam inoculadas em nosso organismo apenas esperando o exato momento para se manifestar. É possível perceber que sua imunidade está baixa quando as unhas estão quebradiças, os cabelos caem mais do que o normal e gripes e resfriados tornam-se frequentes. No entanto, nosso corpo tem maneiras próprias de se proteger e é justamente aí que o sistema imunológico mostra seu papel.

 

 O que fazer para aumentar a imunidade do organismo?

 

Como o nome já diz “sistema” depende de muitas variáveis para um bom funcionamento. Esta afinação está diretamente ligada à boa nutrição e hábitos saudáveis, como uma boa noite de sono e a prática de atividades físicas.

Evidências epidemiológicas demonstram que o exercício moderado aumenta a resistência às infecções, no entanto, o treinamento muito intenso pode induzir à imunossupressão e aumentar o risco de infecções em atletas.

Doenças crônicas, carência de vitaminas e estresse também podem interferir no funcionamento do sistema imunológico.

A idade é outro fator que desencadeia a baixa da imunidade. O idoso pode ter uma frequência aumentada de doenças infecciosas. Com o avanço da idade, existe uma diminuição no numero de células T ou Linfócitos T (um grupo de glóbulos brancos responsáveis pelas defesas do organismo), mas a boa notícia é que existem maneiras de tentar equilibrar essas perdas gradativas. O uso de vitaminas e suplementos pode ajudar a reforçar o sistema imunológico.

 

Abaixo trazemos alguns daqueles que podem fortalecer seu organismo, mas vale ressaltar: quando identificadao uma debilidade na imunidade, o importante é buscar uma ajuda profissional.

 

 » Polivitamínico

 

Na hora de escolher um multivitamínico conhecimento é essencial. Os nutrientes contidos podem se apresentar sob diversas maneiras e isso interfere diretamente na absorção do produto. Por exemplo, a forma de óxido para o zinco, magnésio e ferro ainda é a mais encontrada no mercado, mas que não é tão bem absorvida pelo organismo quando comparada à forma quelada.

Para aqueles que buscam saúde e bem-estar, Vitalift supre as carências nutricionais, otimiza o sistema imunológico, minimiza o cansaço físico e mental e possui ação antioxidante.

Sua fómula contém com vitaminas ativas e minerais quelados que fornece os nutrientes necessários para o dia a dia. De maneira simplificada, quelados são quando os minerais estão “abraçados” por aminoácidos, o que torna sua absorção muito superior aos minerais na forma de óxido, por exemplo, presente na maioria dos polivitamínicos comerciais, assim vale para as vitaminas ativas que estão convertidas em sua forma mais eficiente para uma melhor absorção.

 

 » BCAA

 

A suplementação de BCAA pode beneficiar o sistema imune uma vez que, a partir do metabolismo desses aminoácidos, o corpo consegue produzir outro aminoácido muito conhecido quando o assunto é imunidade: a l-glutamina. Considerado um aminoácido não essencial, ou seja, que pode ser sintetizado pelo organismo, em determinadas situações, como o estresse, o corpo requer maior demanda de l-glutamina, sendo necessário seu consumo através da alimentação e/ou suplementação.

A L-glutamina irá atuar de diversas formas no sistema imunológico: como fonte energética pelos leucócitos (células de defesa); na síntese de glutationa (principal e mais potente antioxidante do organismo) e como fonte de energia para os enterócitos (células intestinais), impedindo a entrada de patógenos pelo intestino.

A correlação entre l-glutamina, sistema imunológico e exercício físico está atrelada ao fato de que a prática de exercícios por si só gera um estresse aos músculos para que o desenvolvimento muscular, objetivo dessa atividade, aconteça. Essa característica induz o aumento da atividade das células de defesa, que por sua vez, precisam de l-glutamina para manutenção de suas funções. A prática de exercícios físicos intensos e prolongados pode reduzir a oferta de l-glutamina e assim estar envolvida no aparecimento de doenças do trato respiratório, como gripes e resfriados. A suplementação com l-glutamina tem sido estudada como uma alternativa de atenuar ou até mesmo reverter tais eventos induzidos pelo exercício físico, assim como em outros casos de estresse ao organismo, por exemplo, cirurgias em geral e, principalmente, as de grande porte.

 

» L-GLUTAMINA

 

Aminoácido livre mais abundante no sangue e no tecido muscular, a l-glutamina é nutricionalmente classificada como um aminoácido não essencial, ou seja, pode ser sintetizado pelo organismo a partir de outros aminoácidos.

O intestino contém cerca de 100 trilhões de células bacterianas e os probióticos afetam de maneira positiva esses microorganismos, aumentando o número de bactérias benéficas e diminuindo as que podem causar doenças.

O efeito imunoestimulante proporcionado pelos probióticos pode estar relacionado à sua capacidade de interagir com os tecidos localizados na mucosa intestinal e protegê-la da agressão de microorganismos maléficos que fazem parte da microbiota normal ou são ingeridos através da alimentação, e também atuam de forma geral como mediadores que estimulam o sistema imune.

Atualmente, o uso de probióticos, além de reforçar o sistema imunológico, é uma das principais ferramentas na prevenção e tratamento de disbiose intestinal, prevenção de alergias, intolerância à lactose, candidíase vaginal, dentre outros benefícios.

 

» PROBIÓTICOS

 

Probióticos são suplementos alimentares que contêm bactérias vivas benéficas ao hospedeiro, favorecendo o equilíbrio de sua microbiota intestinal. Existem diversos tipos de probióticos, destacando-se os lactobacillus e os bifidobacterium.

 

» ZINCO

 

Estudos têm demonstrado que a deficiência de zinco está relacionada com uma suscetibilidade maior a infecções devido ao prejuízo no sistema imune.

O zinco é um mineral que exerce papel importante na imunidade uma vez que as células do sistema imune contêm enzimas que são dependentes do zinco para um funcionamento adequado, ou seja, sua deficiência provoca uma diminuição na produção das células de defesa do organismo. Além disso, o zinco é um antioxidante e anti-inflamatório que dá suporte aos efeitos exercidos sobre o sistema imune.

O estresse aumenta a excreção de zinco, por isso uma alimentação rica em fontes desse mineral, tais como carne bovina, peixes, aves, leite e derivados, farelo de aveia, feijão, é importante, assim como uma avaliação nutricional adequada realizada por médico ou nutricionista que irá determinar as reais necessidades de suplementação, principalmente em épocas propícias ao aparecimento de doenças respiratórias como o inverno.

 

 » VITAMINA D

 

A vitamina D3, ou colecalciferol, tem sido alvo de um número crescente de pesquisas nos últimos anos, demonstrando sua função além do metabolismo do cálcio e da formação óssea, incluindo sua interação com o sistema imunológico. Estudos sugerem que sua ação imunomoduladora é exercida sobre as células de defesa do organismo, em especial os linfócitos, bem como na produção de diversas citocinas (proteínas que modulam a função de outras células).

Atualmente, grande parte da população possui deficiência de vitamina D3 sem sequer ter conhecimento disso, ou seja, não diagnosticada. A suplementação de vitamina D3 é um tratamento considerado barato e seguro com inúmeros benefícios, incluindo a capacidade de prevenir doenças relacionadas ao trato respiratório, como gripes, resfriados, pneumonia ou bronquite, tão comuns no inverno.

 

O que Evitar

Estudos comprovam que dietas com grande quantidade de açúcares interferem na capacidade de as células brancas do sangue destruir os invasores. A ingestão excessiva de gorduras também reduz a atividade de células protetoras e prejudica a resposta imunológica.

Deixe uma pergunta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dra Ritz - © 2015 - Todos os direitos reservados.