Seu Corpo Faz Coisas Incríveis Enquanto Você Dorme

 

O sono não é um desperdício de tempo. Embora muitas pessoas pensam em descansar enquanto o corpo “desliga” até de manhã, cochilar na verdade ativa um processo complicado que ajuda você a se sentir descansado e saudável no dia seguinte. Os cientistas dividem o sono em quatro etapas – cada ciclo de sono completo leva cerca de 90 minutos para ser concluído, ou seja, nós passamos por aproximadamente cinco ciclos com suas etapas durante 7,5 horas entre os lençóis.

A quantidade de tempo gasto em cada estágio do sono varia conforme o ciclo, com o sono mais profundo que ocorre no início da noite e um sono com mais sonhos, na segunda metade da noite.

Em homenagem ao Sleep Awareness Week (Semana de Conscientização do Sono), aqui olhamos de perto algumas das coisas incrivelmente complexas que seu corpo faz todas as noites.

 

 

 Etapa um: O primeiro estágio do sono é a transição entre a consciência e o sono. É fácil de ser acordado desse estágio do sono e, se for, você pode até sentir como se não tivesse dormido de todo. Seus olhos se movem lentamente para trás e para frente enquanto seus músculos relaxam e às vezes até se contorcem, um fenômeno chamado de mioclonia noturna.

 

Estágio dois: O professor assistente de psiquiatria da Universidade da Pensilvania, Philip Gehrman, Ph.D., nomeia o estágio dois do sono como “sono médio” – não é muito profundo nem muito leve, e é onde você gasta cerca da metade da noite. Quando você passa para o estágio dois, você perde o senso de seu entorno e sua temperatura corporal cai, de acordo com a National Sleep Foundation. As ondas cerebrais são lentas (com alguns rompantes) e sua frequência cardíaca e pressão arterial mais lentas e regulares. Isso significa que, durante grande parte da noite, o seu coração e sistema vascular estão recebendo um descanso muito necessário, o que pode ajudar a explicar os muitos benefícios cardiovasculares provenientes do sono saudável.

 

Etapa três:“Este é o nosso sono mais profundo”, diz Gehrman sobre a terceira fase (que anteriormente costumava ser separada em fases três e quatro). “É também chamada de nosso sono de ondas lentas, pois nossas ondas cerebrais são lentas e de alta amplitude. De acordo com a National Sleep Foundation, “Durante esta fase restauradora do sono, a pressão arterial cai, a respiração fica mais lenta, o fluxo sanguíneo move-se para os músculos e o tecido é reparado. Os hormônios, tais como o do crescimento humano, são produzidos também neste momento. O estágio três é também onde parassonias, como o sonambulismo tomam lugar. Como este é o sono mais profundo (e aquele que faz você se sentir bem descansado e cheio de energia no dia seguinte, é também a fase mais difícil de ser acordado, diz Gehrman. Aproximadamente 20 por cento da noite é gasto em sono profundo e isso acontece principalmente na primeira metade da noite.

 

Sono REM: Enquanto sonhos brandos podem ocorrer em outras fases do sono, o sono REM é onde vemos vívidos e imaginativos sonhos, Gehrman explica. Ele diz que os especialistas costumam chamar esta fase de “sono paradoxal” porque o corpo está adormecido, mas o cérebro está semelhante à forma como ele é quando acordado. Como o nome sugere Rapid Eye Movement (em português, Movimentos Rápidos dos Olhos), os olhos rapidamente se viram para trás e para frente durante este estágio do sono e o ritmo da respiração e do coração torna-se tanto mais variado. Grupos musculares também ficam paralisados para impedi-lo de atuar seus sonhos. A primeira rodada do REM é geralmente bastante curta e ocorre no final do primeiro ciclo de sono – mas cada sessão fica mais longa durante a noite enquanto o sono profundo na terceira fase fica mais curto. “A maioria do nosso sono profundo acontece na primeira metade da noite, e a maior parte do nosso sono REM acontece na segunda metade da noite”, diz Gehrman. E como o sono profundo, nós gastamos cerca de 20 por cento da noite em REM.

 

O sono também tem algumas funções que não são específicas de estágio (ou pelo menos nós ainda não entendemos em que estágio eles ocorrem). Uma delas é a regulação dos hormônios do apetite, uma noite inteira de sono é necessária para ajudar a suprimir a grelina, um hormônio da fome, e estimular a leptina, que controla o apetite. Dormir também parece estar relacionada com a formação dos caminhos no cérebro para a memória e aprendizagem, Gehrman explica. E enquanto pensava-se que isso ocorria apenas durante o sono REM, uma pesquisa mais recente está pintando um quadro mais complicado, com outras fases do sono desempenhando papéis importantes no processo de maneiras diferentes. Além disso, um estudo convincente em camundongo publicado em outubro do ano passado mostrou que o sistema de resíduos de lavagem do cérebro (o chamado sistema glymphatic) pode estar 10 vezes mais ativo quando dormimos do que quando estamos acordados.

 

É importante observar também que os ciclos de sono não são uma ciência exata, e podem não ser exatamente o mesmo de pessoa para pessoa, ou mesmo de uma noite para outra. Vários fatores, incluindo idade e privação de sono podem empurrar o corpo a gastar mais ou menos tempo em uma determinada fase.

 

Deixe uma pergunta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dra Ritz - © 2015 - Todos os direitos reservados.