Cadência

Analisando a velocidade de execução de um movimento, veremos que, na maioria dos casos, é subestimada no processo de treinamento e nem mesmo controlada.

Para o controle da velocidade de execução, devemos dividir o movimento em duas fases:

  1. Fase Concêntrica: na qual o músculo realiza o encurtamento e ocorre o deslocamento da sobrecarga contra a ação gravitacional;
  2. Fase Excêntrica: na qual o músculo realiza o alongamento das fibras musculares retornando a sobrecarga a posição inicial.

Geralmente, os movimentos são executados de forma “explosiva” em que as fases concêntricas e excêntricas não duram mais de um segundo cada, o que diminui o trabalho muscular independentemente da carga deslocada e aumenta o risco de lesões dos músculos.

O ideal reside em executar as duas fases com velocidades controladas. São preconizadas diversas formas para o balanço. O primeiro número representa o tempo para a fase concêntrica e o segundo para a fase excêntrica em segundos.

Nesses casos, os tempos normalmente utilizados são de 2-2 (dois segundos para a fase concêntrica e dois para a fase excêntrica) e 3 – 3, caso ambas as fases sejam executadas na mesma velocidade e caso deseje executar a fase concêntrica em maior velocidade, como no caso de treinamento de velocidade ou potência, os tempos utilizados devem ser 1 – 2 e 1 – 3.

Assim sendo, na elaboração de treinamento para hipertrofia, jamais a velocidade de execução deve ser subestimada pois o controle é um dos fatores decisivos ao processo de hipertrofia muscular e à minimização dos riscos de lesões musculoesqueléticas.

Deixe uma pergunta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dra Ritz - © 2015 - Todos os direitos reservados.